GRUPO DE AJUDA

GLOBALSAT

VISION SAT

MAXFLY

Z + IPTV

LOGIN CS

CS Barato Claro

CS SAT BRASIL

TELECS

CS CHICO

NILTON CS

FUSION CS

100 MELHORES

CS TIAGO PIRES

PIPI SHOP

FREEOPEN

CS LIVE

RECEBA ATUALIZAÇÕES POR EMAIL

RECEBA ATUALIZAÇÕES POR EMAIL:

EQUIPE / AZDIGITALTV.COM

APROVADA PROPOSTA QUE VAI TAXAR NETFLIX, NOW E OUTROS VODS CONFIRAM - 06/06/2018

23:56:00 |


APROVADA PROPOSTA QUE VAI TAXAR NETFLIX, NOW E OUTROS VODS CONFIRAM - 06/06/2018





As empresas que oferecem vídeo sob demanda (VOD) terão que pagar Condecine, de duas maneiras a escolher, decidiu o Conselho Superior de Cinema (CSC). Agora, será formulada proposta de projeto de lei para o Congresso NacionalO Conselho Superior de Cinema (CSC) aprovou por unanimidade, nesta terça-feira (5), proposta que prevê modelo híbrido de cobrança da Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional (Condecine) sobre o serviço de Vídeo Sob Demanda (VoD), a Condecine VoD. Agora, terá ser formulada uma minuta de projeto de lei com os princípios aprovados, para ser encaminhada ao Congresso Nacional.

Pela decisão do Conselho, as empresas que exploram o segmento de Vídeo Sob Demanda podem optar por recolher a Condecine de duas formas: ou sobre o número de obras que compõem o catálogo da empresa no Brasil, a chamada Condecine Catálogo; ou na forma de uma taxa única por assinante/transação, chamada de Condecine por Assinatura ou Condecine Transação.

Com o objetivo de estimular e fomentar a presença de conteúdos nacionais nas plataformas de VOD, descontos serão aplicados. A redução tributária será válida para qualquer das modalidades de cobrança e será definida de acordo com a quantidade de obras audiovisuais brasileiras disponíveis nos catálogos. O percentual de redução ainda não foi definido. Além disso, empresas optantes pelo Simples Nacional (faturamento de até R$ 4,8 milhões ao ano) ficarão isentas de todas as modalidades de cobrança da Condecine.

Agora, a proposta aprovada será transformada em uma minuta de projeto de lei, a ser revisada pelos membros do Conselho na próxima reunião, prevista para o dia 28 de agosto. “Avançamos muito na construção de uma proposta que considere os diferentes segmentos deste mercado”, enfatizou o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão. Segundo ele, estudo de impacto econômico vai subsidiar a definição dos valores e alíquotas da cobrança.

O texto aprovado estabelece conceituações mais claras do Vídeo Sob Demanda, esclarecendo quais serviços não podem ser considerados VoD. Estão excluídos do conceito os serviços realizados pelas operadoras de TV paga e radiodifusores que têm como funcionalidade a disposição de conteúdo nas plataformas de TV Everywhere – serviço que permite acessar os conteúdos pagos também fora do ambiente doméstico.

Ao aprovar a proposta, os conselheiros apresentaram algumas ressalvas a serem acrescidas ao texto. Elas deverão ser consideradas na redação da minuta do projeto de lei. Entre elas estão a inclusão de diretriz que garanta que a escolha da modalidade seja feita por melhor adequação ao modelo de negócios, e não para a obtenção de vantagens tributárias.

A Condecine

Instituída pela Medida Provisória 2.228-1/2001, a Condecine incide sobre a veiculação, a produção, o licenciamento e a distribuição de obras cinematográficas e videofonográficas com fins comerciais, bem como sobre o pagamento, o crédito, o emprego, a remessa ou a entrega, aos produtores, distribuidores ou intermediários no exterior, de importâncias relativas a rendimento decorrente da exploração de obras cinematográficas e videofonográficas ou por sua aquisição ou importação a preço fixo.

A partir da entrada em vigor da Lei 12.485/2011, marco regulatório do serviço de TV por assinatura, que abriu o mercado às operadoras de telefonia, a Condecine passou a ter também como fato gerador a prestação de serviços que se utilizem de meios que possam, efetiva ou potencialmente, distribuir conteúdos audiovisuais.

O produto da arrecadação da Condecine compõe o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), sendo revertido diretamente para o fomento do setor. Com o aumento no volume de recursos, o FSA se tornou hoje o maior mecanismo de incentivo ao audiovisual brasileiro, realizando investimentos em todos os elos da cadeia produtiva do setor.

FONTE : TELESINTESE


CURTA E COMPATILHEM EM NOSSAS REDES SOCIAIS !!!


GOOGLE + 


FANPAGE 


TWITTER


CLIQUE AQUI

GRUPO DO FACEBOOK

CLIQUE AQUI

GRUPOR TOCOMSAT BRASIL

CLIQUE AQUI

COMUNIDADE DO GOOGLE +

CLIQUE AQUI

CADASTRE E RECEBA ATUALIZAÇÕES EM SEU EMAIL !!!:




CADASTRE E VERIFIQUE NA LIXEIRA DE SEU EMAIL !!


0 comentários:

Postar um comentário